quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

A comunicação e o conflito na Faixa de Gaza

Fotógrafos próximos a tanques israelenses
O conflito em Gaza já passa dos dez dias, tendo um saldo de mais de 700 mortos (um terço só de menores de 16 anos) e 2.900 feridos. Os números são altos, mas desproporcionais, uma vez que é nove o número de israelenses mortos até o momento.

No programa do Observatório da Imprensa hoje na Rádio MEC comentou-se sobre como essa questão está causando uma alteração na cobertura do conflito, apesar do esforço israelense para controlar o acesso dos jornalistas e as notícias do conflito através do Diretório Nacional de Informações.

O problema - para o governo - é que o país tem uma Imprensa livre que está achando furos e retalhos na versão oficial. Os jornalistas estão usando seus contatos, pessoas comuns, moradores da Faixa de Gaza como correspondentes, que burlam o isolamento com celulares. E ainda tem a Al-Jazeera, que já estava dentro do território antes do bloqueio.

Pra tentar visualizar essa situação, tento traçar um paralelo com o show do U2 no Brasil, que comentei em um post anterior.

Se em um pequeno espaço de tempo, com um número bem menor de pessoas, a manifestação comunicacional foi tanta, o que esperar de uma zona de guerra em que vivem milhões de pessoas ansiosas por serem ouvidas e que querem mostrar ao mundo seu sofrimento, a fim de que a pressão internacional sobre Israel seja reforçada?

Não deu outra: recorrer à internet para furar o bloqueio.

Os protagonistas dos conflitos do século XXI terão muita dificuldade em trabalhar suas Propagandas com essa enorme pedra no sapato. Melhor assim.

6 comentários :

Rodrigo Manhães disse...

Excelente post!

Khristofferson Silveira disse...

Valeu, Rodrigo!

Juliano Cavalcanti disse...

Fala Khristofferson, tudo bom? Aqui é Juliano de Recife. Pouco depois de ler esse post me deparo com uma uma outro notícia que tem relação com a comunicação em massa. Dá uma olhada.

http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Nfl/0,,MUL947067-15100,00-INTERVALO+DO+SUPER+BOWL+TERA+ANUNCIO+EM+D+NA+TV+AMERICANA.html

Abraços e feliz 2009

Khristofferson Silveira disse...

E aí, Juliano! Tudo em paz!

Valeu pelo link e pelo comentário.

Abraço!

Israel disse...

Concordo... A famosa propaganda de guerra muito bem utilizada pela Alemanha nazista (pra muitos inventada por eles) e copiada por todas as outras guerras posteriores se torna muito difícil. Não precisamos ficar comentando sobre as facilidades tecnológicas que possibilitam isso... Mas existem países que ensaiam algumas coisas curiosas... A censura na China beira o absurdo, os filtros de internet são tantos e tão pesados que impactam a rede do país, não foram poucos os "blogueiros" condenados por lá (alguns a morte !)... Se não me engano, na Coréia do norte o celular foi liberado recentemente ! Acredite se puder (or google it !).
Resumindo, na minha opinião, as medidas de contenção/manipulação de informações (ou censura), atualmente, acabam tendo que ser muito mais do que proporcionais às próprias facilidades tecnológicas que já existem para a sua transmissão, e isso já é alguma coisa !

Khristofferson Silveira disse...

Antes era muito mais difícil vencer as barreiras da censura e do controle da informação pelo status quo, mas o lance agora é que, em se tratando de tecnologia, sempre há uma brecha, uma forma de dar a volta no bloqueio e fazer sua mensagem ser transmitida.

Às vezes demora, mas uma hora aparece. Tanto que a China, que é o maior exemplo de Estado que bloqueia o acesso feito à internet por seus cidadãos, ainda tem muitas pedras nos sapatos.