terça-feira, 13 de março de 2007

Março, o mês dos gregos

Não consigo recordar exatamente quando comecei a me interessar pela cultura grega, mas credito sua consolidação a um longo processo.

Na TV, toda aquela trama de Cavaleiros do Zodíaco, envolvendo o panteão grego e cavaleiros com grandes poderes protegidos por armaduras, cada qual tendo uma ligação com seres e personagens daquela mitlogia, me chamou a atenção e fez com que eu me interessasse em procurar conhecer um pouco mais sobre essa civilização.

O cinema também tem sua parcela de culpa. Principalmente "Jasão e o Velo de Ouro", que incontáveis vezes assisti no Cinema em Casa quando criança, sempre me assustando com os esqueletos que brotam do chão e lutam com os argonautas.

No território dos games, "Gods" - que mostra a busca de Hércules pela imortalidade - era um dos jogos que mais me empolgavam e, apesar de pouco conhecido, é um dos melhores para SNES.

Mais tarde, a literatura de Dante consolidou completamente meu gosto pelos mitos gregos, maestralmente mesclados com a tradição católica na sua Divina Comédia.

E que agradável surpresa foi ouvir em 2002 não uma, mas duas músicas do então novo álbum, "A night at the opera", minha banda favorita, o Blind Guardian, que tinham como tema a Guerra de Tróia e que contam a história com níveis de epicidade extremos.

E com essas músicas na cabeça fui assistir "Tróia", em 2004, saindo do cinema extremamente desapontado com o fraco resultado obtido na telona.

No ano passado, meu irmão me mostrou um jogo de PS2 chamado "God of War", em que o protagonista, o espartano Kratos, tem como objetivo matar o deus da guerra, Ares.

Seria apenas mais um jogo, se não fosse O JOGO. Com gráficos que mostram porque o console da Sony foi objeto de desejo de muitos durante seu reinado sobre sua geração, ele abusa das câmeras cinematográficas - que em momento algum atrapalham -, com uma jogabilidade de primeira, história envolvente e tudo isso com uma trilha sonora que se mescla à ação como poucas vezes vi na história dos games.

Por todas essas influências, não era de se estranhar que tenha um projeto de trabalho chamado "Hoplita" e um portfólio espartando - aproveitando o trocadilho com a palavra.



Agora, em março de 2007, teremos o lançamento de "God of War 2", a turnê do Blind Guardian no Brasil, o lançamento do DVD do Prólogo do Céu, de Cavaleiros do Zodíaco - obrigado, Thiago, pela lembrança! - e, coroando o mês, o aguardadíssimo "300".

Já imagina como estou me sentindo?

2 comentários :

Fábio Léda disse...

Sem contar que os gregos, junto com os árabes, foram os maiores arquitetos de todos os tempos.

E aqui vai uma dica: se você não quiser ter prejuízo com os gregos, não os chamem pra comer na sua casa e nem dê de presente pratos de procelana na mã deles. huehaueahaa

Abraço meu camarada! ;)

thiago kerzer disse...

De nada Khris! 300 vai ser realmente uma coisa que vai dar "água nos olhos" principalmente pelas cenas de batalha! Pra quem n sabe, o Rodrigo Santoro está fazendo de forma magnífica um dos mais importantes papéis do filme.
Aconselho a todos ler o quadrinho fodástico de Frank Miller antes de ver o filme: http://hdvirtual.inteligweb.com.br/explorer/
Senha: reverso
ou http://rapadurahdvirtual.blogspot.com/