quarta-feira, 10 de janeiro de 2007

Censura e boicote compartilham desvalores?

Para a MTV, sim.

Li no Contraditorium que a emissora deu uma grande bola fora na sua nota de esclarecimento sobre o bloqueio do YouTube, solicitado pela VJ da casa e pelo seu namorado.

Uma outra coisa que me chamou a atenção foi a tentativa de equiparar "boicote" a "censura".

Embora revestidos de legitimidade a maioria desses protestos no fundo compartilha dos mesmos desvalores que quer atacar pois fomenta a censura a um canal de televisão.

Peraí... Até onde eu sei, não é bem assim. Desde quando boicote e censura compartilham desvalores?

Boicote é um ato voluntário, é a recusa de um indivíduo ou um grupo a comprar, ler, assistir a algo. Já censura é imposta por um órgão que exerce poder - normalmente do Estado - a fim de impedir o acesso a essa compra, leitura ou quaisquer outros meios de se conseguir determinada informação.

Os boicotes são bastante utilizados por aí, sendo inclusive a principal arma dos consumidores adeptos do chamado "consumo consciente". Exemplos famosos são o boicoite à Nike - que surgiu na década de 90, com denúncias de uso de trabalho escravo, e tem adeptos até hoje - e ao McDonald's - pelo apoio à guerra no Iraque.



A própria MTV já promoveu um boicote ao consumismo, convocando todos para não irem às compras durante o "Dia Sem Compras".

Então isso tem o mesmo desvalor que um ato de censura, com esse precedente que a Justiça acaba de abrir?

Acho isso um tanto incoerente para uma emissora que vende a imagem de antenada, moderna, cool e jovem.

Mas o fato é que talvez ela tenha deixado o bonde passar e agora precisa correr atrás da audiência perdida para a outra mídia. Afinal de contas, pra que esperar para ver um clipe dos anos 80 de madrugada, se ele pode ser visto a qualquer momento na internet?

Finalmente perceberam que hoje, para aparecer, não é necessário tocar guitarra na MTV. Pode-se tocar no YouTube.

2 comentários :

Hugo Barros disse...

Nunca fui fã da MTV, mas adoro o YouTube. Estava ontem mesmo eu comentando com minha namorada:"No futuro, a TV a cabo será diferente. Você não vai escolher o canal que quer assistir. Você vai escolher o PROGRAMA que você vai assistir." E ao meu ver, o YouTube já está dando início a essa nova era. Por isso eu sou fão do YouTube. Além disso, o YouTube não tem aqueles comerciais bizarros da MTV que me dão a impressão de lavagem cerebral...

Khristofferson Silveira disse...

"Lavagem cerebral" é muito pesado. Talvez "alienação cool" seja mais apropriado.