segunda-feira, 29 de agosto de 2005

Eu me perdi na selva de bits

Uma das coisas que mais faço no meu trabalho são pesquisas na Web. Imagens, textos, músicas, poemas, enfim... Qualquer coisa que estejam precisando:

  • "Qual é mesmo aquela música assim: (cantarola)?"
  • "Que filme era aquele com aquele ator daquele outro filme com o diretor daquele outro?"
  • "Você se lembra do nome daquele pintor daquele quadro famoso daquele estilo?"

Na maioria dos casos, um pouco de conhecimentos gerais resolve ("Tô precisando de uma foto daquele quadro do cara gritando, mas não lembro o nome..."). No entanto, existem pessoas que trazem verdadeiros elos perdidos para serem descobertos ("Aquela música que é assim: lá lálá lá lálálá láaaaa - fora de ritmo"). E o que normalmente acontece é que as pistas são muito vagas e as pessoas se perdem.

Para ajudá-las acabo tendo que fazer uso de uma certa metodologia: perguntas acerca de onde viu/ouviu/leu, que dia, que lugar, que hora, se já havia visto antes ou não, se acha que é famoso ou desconhecido, novo ou antigo... Enfim, vai cercando o Lourenço!

Tá... Mas porque estou escrevendo isso? Não, não é pra me gabar de ser um websurfer - ou seria webbandeirante? - competente, que na maioria das vezes acha o que é solicitado... Ok, ok... Chega. Esse post não é pra massagear o ego. Hehehehe

A idéia é mostrar que os usuarios têm na Web um mundo de informação à sua disposição mas não têm a menor idéia de como conseguí-la. Até mesmo usuários mais de experientes desconhecem ou se atrapalham com os recursos oferecidos pelos mecanismos de busca. Expressões fechadas com aspas, operadores AND e OR (ou os correspondentes em português E e OU) não são conhecidos. Link busca avançada, nem sequer suspeitam que existe.

Esse domingo conheci o ClueSide (Update 25/10: O site ClueSide saiu do ar há algumas semanas.). Um site do estilo riddle. Basicamente, um jogo de charadas. Ele lhe fornece uma imagem, uma legenda que, somados ao título da página, à barra de endereço e ao código-fonte do arquivo, são pistas para desvendar o mistério e passar para o próximo nível. De certa forma me lembrou as tardes que passava jogando Detetive com os amigos. "Prof. Black com o cano na biblioteca!!!"

O legal desse jogo é que por mais conhecimento geral que o indivíduo tenha, ele não terá como passar pela maioria dos níveis sem uma boa dose de mufa queimada e algumas pesquisadas no Google e Wikipédia. Um excelente exercício de uso destas ferramentas Web!

Tenho certeza de que depois de passar por vários níveis desse jogo você saberá alguns macetes de pesquisa na Web e as suas posteriores incursões nessa selva de bits serão bem mais prazerosas.

Ah! Obrigado pela dica do site, Raquel :)

---
Ouvindo: Rob Zombie - Spookshow Baby

quinta-feira, 25 de agosto de 2005

O Palm e eu... Considerações


  1. Pô, legal, consegui postar!
  2. Pô, que merda, não dá pra formatar!
  3. Pô, que merda, um custo pra digitar!
  4. Pô, que merda, não tem como pôr imagem!
  5. Pô, que legal, publicou!
  6. Pô, que merda, tá com problemas nos acentos!
  7. Pô, que legal, posso mandar texto de qualquer lugar!

Resumindo: Quem for ler isso, que não deve ser ninguém, que se vire pra entender as palavras. Onde tem interrogação é uma palavra com acento. Nem precisa pensar. Garanto que seu cérebro faz isso sozinho.

---
Ouvindo: Barulho de digitação.

quarta-feira, 24 de agosto de 2005

O Palm e eu...

A d�vida existencial fundamental da vez j� foi esclarecida: sim, � poss�vel acessar o Orkut e o Blogspot e postar em ambos via Palm. Tanto que � isso que fa�o agora.

Velocidade de acesso e digita��o s�o os grandes problemas at� agora, mas acredito que outros aparecer�o, pois isso � inexor�vel em tecnologia.

E esse post n�o vai ter imagem. Primeiro porque n�o d� mesmo, pois a interface n�o permite, o que acho uma falha. E segundo, porque ia ser desumano fazer uma pesquisa de imagens no Google com esse dispositivo.

De qualquer forma, s� o fato de estar fazendo isso aqui j� � muito legal!

---
Ouvindo: Funk Como Le Gusta - 16 toneladas (sim, nem aqui deixo de ouvir m�sica)

terça-feira, 23 de agosto de 2005

Não é engraçado?


Engraçado... Estava ouvindo a música "Ain't fun" do Guns N' Roses e prestando atenção à letra. Acho engraçada essa característica do ser humano de alguma coisa passar despercebida durante muito tempo, de não querer dizer nada, de ser apenas mais uma coisa qualquer, e, de repente, ela fazer sentido pra você ou te chamar a atenção por um motivo ou outro, como essa música, por exemplo. Não é engraçado?

Quer ver?
Por exemplo: Não é engraçado quando...

- existem dois pesos e duas medidas?
- te delegam a execução de um trabalho mal planejado? - Se é que foi planejado!
- não te dão tempo pra planejar o seu trabalho, para um melhor rendimento?
- te impedem de te fazer seu trabalho pra você fazer o dos outros?
- ainda assim reclamam que seu trabalho não está rendendo?
- os trabalhos que você faz não te agradam, mas não ligam pra isso?
- você sente que está enganando o outro por causa diso?
- pessoas sentem necessidade de ser o rei-sol, mantendo tudo preso a si por sua gravidade?
- ainda te vêem como uma criança?
- te subestimam/superestimam por não entendem em que consiste seu trabalho e nem se interessam por isso?
- você começa a se perguntar se virou operador de mouse ou é só impressão?
- ouve coisas que são desnecessárias?
- não diz coisas que seriam necessárias por sentir que não adianta?
- vem aquela sensação de "lá vamos nós de novo..."?
- as pessoas têm medo da mudança?
- te desviam do seu foco de trabalho, pra outro, só porque você conhece também a outra atividade, embora não goste dela?

Não. Não é.

---
Ouvindo: Guns N' Roses - Sympathy For The Devil

sábado, 13 de agosto de 2005

Obrigado, Ibrahim

Foto do Cantor Ibrahim Ferrer / AP
Esperava que o segundo post desse blog fosse a respeito de acessibilidade ou usabilidade na web. Mas não é.

No último dia 6, sábado, o cantor cubano Ibrahim Ferrer, membro do Buena Vista Social Club, faleceu.

O grupo era uma reunião de músicos da velha guarda cubana, redescobertos nas periferias de Havana pelo guitarrista americano Ry Cooder. Infelizmente isso ocorreu muito tarde, com os músicos já muito velhos. Embora alguns deles ainda gravassem alguns álbuns solos, a produção para a posteridade foi muito pouca. Mas vale cada segundo! O álbum é repleto de pérolas e merece ser colocado em repeat no som durante muito tempo.

Das 14 faixas do álbum, Ibrahim participa de 12 e sola em 4: "Dos Gardenias", "De Camino a la Vereda", "Candela" e "Murmullo". Além disso, ele ainda lançou dois álbuns solos: "Buena Vista Social Club Presenta Ibrahim Ferrer", de 2001 e "Buenos amigos", de 2004.

Ele é o terceiro membro do grupo a falecer desde o lançamento do álbum. Os outros dois foram Compay Segundo, cantor, e Ruben Gonzalez, pianista.

Há também um documentário sobre o grupo, dirigido por Wim Wenders, produzido quando os três ainda eram vivos.

Esses sujeitos conquistaram o mundo e mostraram a riqueza da música cubana/latina. Confesso que não gostava muito desse estilo musical, mas esses senhores abriram as portas dele para mim. Obrigado.

---
Ouvindo: Buena Vista Social Club - Veinte Años

quarta-feira, 10 de agosto de 2005

Post Alfa

Esse tal de blog... Vários amigos e conhecidos me perguntavam porque não tinha um. Na verdade já tive. Durou 15 dias e 3 posts. Não levo a vida mais agitada do mundo e nem gosto muito de falar dela. A fórmula deu errado.

Ter blog hoje em dia não significa estar expondo sua vida para os outros. O recurso foi além da brincadeira adolescente e hoje é visto com muito respeito pelo uso em várias áreas. Muita gente tem blog: existem os "meu querido diário", jornalísticos, críticos literários/cinematográficos, políticos, poéticos, "causeros" e técnicos.

Depois de tanto tempo pensando em porque não ter um blog, resolvi pensar em porque ter um. A balança finalmente pendeu pro outro lado e cá estamos. Agora surge aquele sentimento que provavelmente o cachorro que vinha correndo e latindo ferozmente ao lado de um pneu sente quando o carro pára: "E agora?" Bom... Acho que agora é só postar mesmo. Hehehe


E pra começar, que tal explicar o título? "Vivendo em hipermídia"

A proposta principal é poder apresentar aqui algumas idéias, experiências e discussões sobre vivência em hipermídia. Poder discutir acontecimentos e especificidades técnicas da área de Web. Mas não apenas isso, como qualquer outra forma de mídia também: jornal, TV, cinema; bem como fatos fora do "mundo virtual". Ou seja, vale tudo, embora o foco seja hipermídia.

Afinal de contas, a hipermídia é assim mesmo: contempla tudo!

Abração e vamos ver no que isso dá.

--
Ouvindo: Eric Clapton - Layla